Loading...

CARA DE PAISAGEM

Tendo a ironia como pano de fundo, Portela utiliza um termo popular “Cara de Paisagem” para ilustrar e dar forma ao trabalho exposto. Ao mesmo tempo que é engraçado e buscando um deleite estético, esse trabalho se apresenta também como um trabalho crítico a passividade do povo brasileiro frente aos últimos acontecimentos políticos em nosso país. O uso de seu próprio rosto repetidamente teria duas funções principais, a primeira o contexto político como já foi dito, já que o autor é brasileiro, a segunda algo que persegue o trabalho de Portela, crítica a necessidade contemporânea de autocelebração, reconhecimento e desejo de pertencimento.

O FOTÓGRAFO

Marco Antônio Portela é artista visual, professor com mestrado em arte pela UFF, curador independente, sócio fundador do espaço A Casa. Algumas exposições como curador: Mostra o seu que eu mostro o meu na Casa França – Brasil, RJ; Piscinão na Galeria Murilo Castro, MG, Gabinete Contemporâneo de Curiosidades na Galeria Oriente, RJ, Galeria Hiato, MG e Centro Cultural Banco do Nordeste em Sousa PB. Como artista, podemos destacar Natureza Concreta no Centro Cultural Caixa, RJ; Quando o Mar virou Rio, Museu Histórico Nacional, RJ; VI Bienal do Recôncavo Baiano, São Félix BA.

A EXPOSIÇÃO

Aberturas das exposições Florestas Assombradas, de Alexandre Sant’Anna, Cara de Paisagem, de Marco Antônio Portela, Uma Coisa Move antes os Olhos, de Marcelo Corrêa, e O Rio Visto do Mar, de Rico Sombra, Mão-Natureza-Objeto, de Luiz Eugênio, e Outros Mares, de André Maragão.

Abertura: 25 de agosto de 2018, 15h00
Em cartaz: De 26 de agosto a 25 de setembro, das 10h às 19h
Local: Marina da Glória
Av. Infante Dom Henrique, S/N • Glória • Rio de Janeiro

2018-11-16T17:00:01+00:00